DIA DE POETIZAR: OLAVO BILAC

Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto…
E conversamos toda a noite, enquanto
A Via Láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.
Direis agora: “Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?”
E eu vos direi: “Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e entender estrelas”
Anúncios

DIA DE POETIZAR: CECÍLIA MEIRELES

Cecília Meireles, poeta brasileira que encanta até hoje crianças e adultos com sua obra. Contos, poemas, e crônicas de linguagem simples mas nunca sem filosofia. O poema a bailarina não é diferente dos demais. Embora seja um poema infantil, não deixa de ser adulto. A filosofia, simplicidade, e aquele gostinho de infância é presente de forma clara no poema.

 

DIA DE POETIZAR: GONÇALVES DIAS

Antônio Gonçalves Dias, autor do famoso poema Canção do Exílio, um dos poemas mais conhecidos do poeta e o mais conhecido da literatura brasileira. Advogado de formação Gonçalves Dias é mais conhecido por seus poemas, pesquisas na língua indígena e por ter escrito quatro peças teatrais. Apesar da curta vida, ele teve poemas como Seus OlhosOs Timbiras e Ainda uma vez – Adeus

 

 

goncalves_dias

DIA DE POETIZAR: FLORBELA ESPANCA

Uma grande poetiza com grandes poemas e uma vida nada fácil, assim viveu Flor Bela Lobo que se auto nomeou como Florbela d’Alma da Conceição Espanca. Sua poesia retrata sua vida inquieta, com sofrimentos íntimos, ela retrata isso  com feminilidade e erotização em toda a sua obra. Florbela viveu apenas 36 anos mas foi o suficiente para deixar-nos uma coleção de poemas íntimos de altíssima qualidade como o poema alma perdida que foi narrado por Miguel Falabela